Grupelho sente o baque no Solar de Santana

Posted on 25 de fevereiro de 2014

0


A última mensagem do grupelho sobre o acordo iminente entre a Bancoop e cooperados do Solar de Santana demonstra o que todos já sabem: o grupelho está cada vez mais fraco, cada vez menor e já não consegue mais enganar os cooperados com suas “soluções mágicas”.

Sempre que os cooperados de algum empreendimento chegam a um acordo com a cooperativa e alcançam a solução desejada, surge um sujeito que se se comporta como “salvador da pátria”, tentando convencer o cooperado a deixar o acordo. Ele alega ter criado um “novogrupo” – que, quando realmente existe, é formado por um ou dois que acreditaram na “solução mágica”. – do qual o cooperado deve fazer parte. O que ele não diz é o que isso significa.

Na realidade, esse suposto salvador da pátria está apenas incentivando a manutenção de ações judiciais intermináveis contra a Bancoop. Ações cuja intenção é unicamente de abocanhar a comissão sobre os honorários de advogados, fazendo com que o cooperado perca muito mais do que pode ganhar.

Quase 90% dos cooperados já deram o aval ao acordo entabulado com a Bancoop, que possibilitará o registro da escritura dos apartamentos em nome dos cooperados de forma rápida e segura. Isso aconteceu porque os cooperados já fizeram a conta e perceberam que os custos com a manutenção de ações judiciais demoradas são, em muitos casos, maiores do que o que deve ser pago normalmente. Além disso, mesmo em caso de vitória judicial – depois do longo tempo de espera –, nem sempre a solução dada pelas ações judiciais é a desejada mas, sendo o resultado bom ou não, a comissão e os honorários do advogado precisam ser pagos.

SERÁ QUE TEM GENTE QUE AINDA ACEITA ENCHER OS BOLSOS DESTA GENTE QUE VIVE DE AÇÕES JUDICIAIS INTERMINÁVEIS?

Anúncios