Vaza, paqueiro!

Posted on 28 de outubro de 2013

0


PaqueiroPara quem não sabe, paqueiro é uma pessoa que angaria serviços para outra pessoa. E é PAGO por esse “serviço”.

 

O paqueiro de advogados que pregam ações judiciais intermináveis contra a Bancoop usa alguns truques para atrair a atenção de cooperados desavisados.

 

A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) não permite esse tipo de “serviço”. Ou seja, esse “trabalho” é ilegal no meio jurídico.

 

O paqueiro, que recebe comissões sobre os valores de honorários pagos aos advogados, alega que os termos do acordo aprovado pelos cooperados do Anália Franco “vazaram”.

 

Ele quer dar a impressão de que o acordo foi feito às escondidas, na surdina, “por baixo dos panos” como dizem. Mas, todos os cooperados do Anália Franco foram convocados a participar da assembleia que aprovou o acordo.

 

TODOS, sem exceção, tiveram acesso aos termos contratuais do acordo. Mais uma ardilosa artimanha deste “cara” que não quer que sua fonte de renda seque e deseja encher o bolso de dinheiro ilegalmente.

 

Se existem acordos entre a Bancoop e os cooperados, deixam de existir ações judiciais. Se não há ações judiciais, ele não recebe suas comissões. Entenderam como funciona a realidade desse tipo de “profissional”?

 

LEMBREM-SE: esse “cara” é sustentado pelos cooperados que mantêm as ações judiciais. Ele é pago com o dinheiro dos cooperados que continuam mantendo ações judiciais. Mas, NÃO VEEM A SOLUÇÃO PARA SEUS PROBLEMAS.

 

Quem tem que “vazar” é esse “cara”. Já passou da hora!

Anúncios