Mais uma paulada no grupelho

Posted on 6 de maio de 2013

0


O grupelho que faz de tudo para não pagar o valor de custo dos apartamentos e casas construídos pela Bancoop tomou mais uma paulada. Desta vez foi no Anália Franco.

Todo o esforço, tempo e dinheiro que eles gastaram de nada serviu. O Tribunal de Justiça determinou que o processo volte à estaca zero, suspendendo o cumprimento da sentença.

O advogado e seu comissionado devem ter ficado contente, claro! Se o grupelho continuar neste caminho sem fim vai engordar ainda mais os bolsos deles.

A SURRA

O Tribunal de Justiça já havia determinado que o juiz de primeira instância acatasse os pleitos da associação criada por cooperados que ainda não receberam sua unidade e buscam acordo com a Bancoop.

Ou seja, para tomar qualquer decisão, o juiz de primeira instância terá que levar em conta e analisar os pleitos daqueles que são os mais prejudicados, aqueles que não moram.

O CAMINHO

Tem gente que prega um caminho incerto e tortuoso, que nunca tem fim. Não tem nenhum escrúpulo e não se importa com quem não mora.

  1. Nega qualquer possibilidade de diálogo com a Bancoop;
  2. Incita o desrespeito às comissões e a desobediência às decisões coletivas tomadas em assembleias;
  3. Caso os cooperados assumam o empreendimento, prega uma nova enxurrada de processos judiciais (individuais); ou seja,
  4. Prega o individualismo (cada um por si e Deus contra todos);

O Anália é uma mostra do buraco para qual esse “caminho” leva. Isso não é caminho! É apenas uma forma de engordar os bolsos de advogados e seus comissionados.

O verdadeiro caminho é aquele que leva a solução aos cooperados. Que levará a conclusão das obras e à liberação das escrituras para quem já mora.

Não acredite em Papai Noel, em poções mágicas. O diálogo e a negociação são incentivados até pela Justiça.

Anúncios