Oposição e mídia batem, mas Dilma sobe para 79%

Posted on 19 de março de 2013

1


Fustigada pelas críticas sobre o baixo crescimento do PIB, o estilo pessoal de governar e sua política de alianças, para o grande público a visão sobre a presidente Dilma Rousseff é outra: está fazendo uma gestão cada vez melhor.

É o que se depreende dos números da pesquisa CNI/Ibope, divulgada nesta terça-feira 19 pela Confederação Nacional da Indústria. Nada menos que 63% dos entrevistados consideram o governo ótimo ou bom, maior índice desde o início da gestão. E não se pode dizer que o público não esteja ciente das críticas disparadas por meio da mídia. O noticiário recente sobre o governo Dilma foi considerado favorável por apenas 38% dos entrevistas, ou seja, está claro para o público que as notícias são, em maior número, negativas para a gestão.

Mesmo assim…

Dilma apresenta, nesta primeira pesquisa em seu terceiro ano de mandato, uma aprovação superior as obtidas, na mesma altura da gestão, pelos então presidentes Lula e Fernando Henrique. O primeiro marcou 39% e FHC, 56%. Ambos foram reeleitos.

Apenas 7% dos ouvidos pelo Ibope a serviço da CNI consideraram o governo Dilma como péssimo. O voto em regular obteve 29%.

Também a aprovação pessoal da presidente subiu – dentro da margem de erro, mas subiu de 78% na última pesquisa para 79% agora. Os antecessores também perdem nesse quesito: Lula com 58% e FHC, 70%. Somente 17% afirmaram desaprovar a gestão de Dilma.

Os resultados da pesquisa deverão levar a oposição à presidente a rever seus métodos. Nas últimas semanas, as críticas se acentuaram, especialmente em relação ao desempenho do PIB, de 0,9% no ano passado. Mas tudo isso ainda parece pouco para abalar a força popular da presidente. Pode-se alegar que as críticas mais recentes sobre a gestão da Petrobras e o aumento no número de ministérios ainda não puderam ser captadas pelo radar da pesquisa, feita trimestralmente, mas será que isso faria tanta diferença assim?

Abaixo, os destaques da pesquisa segundo a CNI:

  • Avaliação positiva com relação ao governo Dilma mantém tendência de crescimento iniciada em setembro de 2011;
  • Para 63% da população brasileira o governo Dilma é ótimo ou bom, maior percentual desde o início do governo;
  • Cresce otimismo com relação ao restante do governo Dilma. Percentual dos que acreditam que será ótimo ou bom passa de 62% para 65%;
  • Percentual da população que aprova a maneira de governar da presidente Dilma alcança 79%;
  • 75% dos brasileiros confiam na presidente Dilma;
  • Nas nove áreas de atuação do governo avaliada verificou-se um movimento de melhora, ainda que dentro da margem de erro para a maioria delas;
  • Combate à fome e à pobreza, Combate ao desemprego e Meio ambiente continuam as únicas áreas aprovadas pela maioria da população;
  • Saúde, Segurança pública e Impostos são desaprovadas por mais de metade da população;
  • O noticiário recente sobre o governo foi considerado mais favorável ao governo Dilma por 38% dos entrevistados;
  • Para 61% da população governo Dilma está sendo igual ao governo Lula.

Dilma Rousseff posa para foto durante visita a feira rural em Cascaval, no Paraná. Créditos: Folha de S. Paulo

Avaliação de Dilma no Nordeste e notícias positivas explicam resultados

Pedro Peduzzi, da Agência Brasil – Os recordes de avaliação positiva da presidenta Dilma Rousseff e de seu governo podem ser explicados pela melhora de sua avaliação na Região Nordeste e notícias favoráveis sobre redução de custos da cesta básica e da energia. A presidenta também passa a imagem de administradora competente, firme e segura.

“A presidenta Dilma não era tão forte no Nordeste como era [o ex-presidente] Lula. Mas isso mudou na pesquisa de agora, que mostrou uma avaliação positiva muito forte dela nessa região. Lá, o percentual de pessoas que avaliam o governo como ótimo ou bom passou de 68% para 72%. Na comparação com dezembro do ano passado, a aprovação da maneira de a presidenta governar subiu de 80% para 85%”, explicou o gerente executivo de Pesquisa da CNI, Renato Fonseca.

Na avaliação do pesquisador, três fatores ajudaram na boa avaliação do governo: “Baixa taxa de desemprego com crescimento da renda; as políticas sociais, que são aprovadas pela grande maioria dos brasileiros; e, embasado também em outras pesquisas, o carisma pessoal da presidenta, que passa uma imagem de administradora competente, firme e segura nas decisões. Esses fatores geram segurança e resultam na avaliação política crescente apontada pelas últimas pesquisas”, explicou Fonseca.

Outro fator que, na avaliação do pesquisador, pode influenciar nas imagens positivas do atual governo e da presidenta foi o crescimento da percepção de que as notícias veiculadas na mídia têm sido favoráveis ao governo. “Notícias como a redução do preço da cesta básica, as garantias dadas contra apagões, a redução da conta de luz e o aumento do salário mínimo representam notícias econômicas boas”, disse.

“Mais que índices econômicos, valem as boas políticas sociais implementadas pelo governo federal”, complementou, ao lembrar que, “se por um lado mais de 60% desaprovam as políticas de impostos, saúde e segurança, [por outro] saúde e segurança pública não são políticas exclusivas do governo federal”.

Com notícias do Brasil 247

Anúncios
Marcado: , ,