“Minha Casa, Minha Vida” entrega 1 milhão de casas populares

Posted on 12 de dezembro de 2012

0


Na última semana foi comemorado um marco histórico no nosso país: cerca de um milhão de famílias brasileiras realizaram o sonho da casa própria com a ajuda do programa do Governo Federal “Minha Casa, Minha Vida”.

O programa beneficiou, em sua grande maioria, famílias com renda mensal de até R$ 1.600,00, que moravam de aluguel ou em condições muito precárias.

Lançado em 2009, o “Minha Casa” permite que famílias com renda até R$ 5000,00 mensais também tenham acesso à sua casa própria com o subsídio do governo. Com juros mais baixos (no máximo 7% ao ano), a Caixa Econômica Federal pretende aumentar o valor do crédito habitacional, que hoje tem o teto de R$170 mil.

O governo divide os beneficiários em três faixas de renda, com regras e financiamentos diferentes. Para as famílias da faixa mais pobre, o governo subsidia até 95% do imóvel e o valor da prestação não pode ser maior do que 5% da renda total, ou no mínimo, R$ 25 reais por mês.

Mais do que uma marca, o programa transformou a vida dessas pessoas de forma definitiva, que agora passam a viver em condições dignas, com segurança, saneamento e endereço próprio.

Casas populares

São Paulo deverá se integrar ao programa

Com a entrada do prefeito Fernando Haddad, do partido da presidenta Dilma, as chances da cidade de São Paulo conseguir se enquadrar no perfil do “Minha Casa, Minha Vida” se tornaram concretas.

Promessa de campanha, Haddad já sinalizou que vai estreitar as relações da prefeitura com o governo federal para que os recursos cheguem à capital paulista para financiar moradias populares, especialmente da população mais carente e em todas as regiões da cidade.

A última gestão não aderiu ao programa por priorizar, infelizmente, a especulação imobiliária e os investimentos de alto padrão que crescem na cidade. Na lógica tucana, é mais higiênico jogar os pobres para os extremos e deixar as áreas centrais para grandes empreendimentos residenciais e comerciais das construtoras e incorporadoras amigas.

Lembremos do caso de Aref Hussein Saab, que nos sete anos em que foi responsável pela aprovação de plantas da prefeitura  na gestão Serra-Kassab, acumulou um patrimônio de mais de 100 apartamentos pela cidade de São Paulo. Essa é a cara da política habitacional tucana.

Bancoop e sua luta pelo direito à moradia

Na busca de ajudar a construir um Brasil melhor, mais justo e com mais dignidade, o Sindicato dos Bancários criou a Bancoop, cooperativa que permite aos seus membros comprarem apartamentos a preço de custo.

Sempre alinhada com os direitos humanos básicos dos trabalhadores, a cooperativa já entregou quase 6 mil novos apartamentos e mudou a vida dessas 6 mil famílias que agora possuem casa própria.

A moradia adequada foi reconhecida como direito humano em 1948, com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, tornando-se um direito humano universal, aceito e aplicável em todas as partes do mundo como um dos direitos fundamentais para a vida das pessoas, e é baseada nesses princípios que a Bancoop trabalha arduamente noite e dia.

Anúncios