Esqueceram que Berzoini não é candidato nestas eleições

Posted on 23 de julho de 2012

0


Mais uma vez “o cara do contra” requenta publicações (das mais antigas) para dizer que a cooperativa era utilizada como palanque político. Acreditem, até o DEM entrou na base falha de argumentação.

O envolvimento político se daria por conta do afastamento de Ricardo Berzoini da Bancoop, que em 1998 ocupava o cargo de diretor administrativo, para pleitear o cargo de deputado federal nas eleições daquele ano. Ora, a saída de Berzoini nada mais é que uma prova de que ele não utilizou a BANCOOP para promoção pessoal. Ter sido indicado por membros de sindicatos mostra apenas o reconhecimento do trabalho que fez na categoria.

Entretanto, a regra e os motivos apresentados pelo grupelho não servem para eles – Fernando Capez se licenciou do cargo de Procurador de Justiça para ser deputado estadual pelo PSDB de SP. Desta forma, podemos então afirmar que Fernando Capez utilizou o MPSP como palanque político, correto?

Vale a pena ver de novo

Reportagens de 2010 voltam a ser publicadas no fórum das mentiras, recebem um destaque que nos dá a impressão de ser algo novo. É o velho “vale a pena ver de novo” com as mesmas mentiras de sempre. Um vídeo, feito com o famoso recurso das câmeras escondidas fala do empreendimento Anália Franco. A transferência da conclusão das obras para a construtora OAS foi aprovada pela maioria dos cooperados em duas assembleias, uma delas realizada pela associação de moradores da seccional, sem qualquer participação da Bancoop. Entretanto, uma minoria de cooperados que se nega a efetuar o pagamento do reforço de caixa ou a optar pela transferência das obras, tem feito de tudo para emperrar as alternativas de solução. Os valores cobrados no empreendimento para reforço de caixa foram confirmados em perícias judiciais. Infelizmente a reportagem omitiu esses fatos e deu novamente tratamento político à questão dos cooperados.

Fato curioso

Em depoimento à CPI na ALESP, o engenheiro Ricardo Luiz do Carmo, acusou Sandro Barbosa, repórter da matéria, de tê-lo coagido a dar depoimento ao promotor José Carlos Blat, para depois, dar uma entrevista exclusiva à TV Bandeirantes. Pelo menos, estranho.

Anúncios