Justiça rejeita intervenção na Bancoop

Posted on 28 de junho de 2012

0


A Rede Brasil Atual também repercutiu a decisão da Justiça que rejeita o pedido de intervenção da BANCOOP:

A Justiça rejeitou pedido da promotora Karyna Mori, do Ministério Público de São Paulo, de intervenção judicial na Cooperativa Habitacional dos Bancários (Bancoop), com afastamento da diretoria e bloqueio de bens e de contas bancárias de seus diretores. Em seu despacho, o juiz Rodrigo César Fernandes Marinho, da 4ª Vara Cível, considerou “inviável” o pedido de liminar (decisão provisória enquanto o mérito do processo aguarda julgamento em definitivo) por parte da promotora devido à inexistência “de prova inequívoca da necessidade de imediata intervenção ou mesmo de bloqueio de bens e valores”.

A cooperativa comentou, em nota, a decisão do juiz: “A Justiça entendeu que não existem elementos para a intervenção na cooperativa, ressaltando a existência de Acordo Judicial que confere tratamento adequado aos interesses dos cooperados. Diante disso, não se demonstram razões para a intervenção, tampouco para o afastamento da diretoria e o bloqueio de bens da entidade e de seus dirigentes”.

O pedido da intervenção havia sido suscitado pelo Conselho Superior do Ministério Público há quase um ano , em agosto de 2011. A diretoria da Bancoop afirmou ter estranhado o pedido de liminar encaminhado pela promotora tanto tempo depois. A liminar foi pedida pela promotora Karyna Mori na sexta-feira (22), com repercussão no Estadão,FolhaCBN e Veja. Ontem (26), dia em que o juiz indeferiu o pedido, o Estadão publicou editorial demonstrando muito interesse e preocupação com o caso. O editorial não foi escrito em agosto de 2011, quando o Conselho Superior do Ministério Público sugeriu a ação – mas no momento em que mais um embate eleitoral se aproxima.

O blog Verdade Bancoop, mantido por um grupo de integrantes da cooperativa, publicou comentário de Pedro Serrano, advogado da cooperativa, destacando que o assunto é alvo de tratamento político, e não jurídico: “A demora entre a decisão do Conselho Superior do MP, de agosto de 2011, e a propositura da ação demonstram intenção político-eleitoral. Por que o MP demorou tanto tempo para ajuizar a ação? A promotoria pede concessão de liminar, mas se pretende decisão tão rápida da Justiça por que demorou quase um ano para propor a ação?

O blog acusa Karyna Mori de agir movida por interesses políticos e divulga, ainda, uma mensagem da promotora (abaixo) em seu perfil no twitter, no qual assume sua opção partidária pelo PSDB.

Twitter promotora Karyna

Anúncios
Posted in: É notícia