Justiça indefere intervenção da BANCOOP

Posted on 26 de junho de 2012

0



Justamente no dia em que a Justiça indefere o pedido de intervenção da Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo, feito pelo MP, o Estadão publica em sua versão online o editorial – Para salvar a BANCOOP.  Mais uma vez, a mídia apressada e empenhada em dar tratamento político às demandas jurídicas, poderia ter aguardado a definição da Justiça para opinar sobre a questão.

Depois de transformar a vitória judicial da cooperativa, em condenação de correligionários do PT, para atingir a candidatura de Fernando Haddad à prefeitura de São Paulo, quando o Tribunal de Justiça de São Paulo homologou em caráter definitivo o acordo judicial celebrado entre a BANCOOP e o MP, o Estadão trata novamente a questão com forte cunho eleitoreiro e apresenta estatísticas inverídicas sobre a cooperativa além de fazer uma infeliz alusão da questão com casos como o Mensalão e Aloprados.

É importante que fique claro que a BANCOOP já fez a entrega de 5697 moradias aos trabalhadores de São Paulo. A grande maioria dos cooperados já recebeu seus apartamentos com preço de custo. Faltam apenas 382 unidades a serem entregues. Os falsos números publicados pelo Estadão não refletem em nada a realidade da BANCOOP.

Quando falam da acusação feita pelo promotor José Carlos Blat, vale lembrar que o mesmo depôs na CPI sem fazer o juramento de falar apenas a verdade, sob a pena de ser processado. Quanto à sua colega de trabalho, Karyna Mori, a promotora que solicitou liminarmente a intervenção judicial da cooperativa, assim como Blat, possui relações pra lá de amistosas como o PSDB de São Paulo. Em seu twitter, em 2010, Karyne declarou que votaria em Serra para presidente, além de ter ridicularizado e menosprezado a capacidade da presidente Dilma Roussef. O despacho proferido desmente a promotora que tenta promover relação entre os dirigentes da BANCOOP com sindicatos e petistas.

 Nesta terça (26) a 4ª Vara Cível indeferiu o processo que pede a intervenção da cooperativa. Mais uma vez o julgamento feito pelos órgãos competentes é diferente das sentenças omitidas por veículos conservadores e reacionários de nosso país. O despacho proferido destaca que o próprio Conselho Superior do Ministério Público já havia proposto outra ação civil publica que visava regularizar a situação dos empreendimentos e cooperados com pendências sob a pena de desconsideração da personalidade jurídica em caso do não cumprimento das cláusulas apontadas no acordo celebrado.

Abaixo, um trecho do despacho que e merece destaque e desmente as falácias publicadas pela grande mídia:

“Em suma, em que pese a relevância do direito alegado, não há como se reconhecer, por ora, a existência de prova inequívoca da necessidade de imediata intervenção ou mesmo de bloqueio de bens e valores (…) não existe prova inequívoca de prática de atos fraudulentos por parte da atual diretoria da BANCOOP (…)Por tais razões, INDEFIRO a liminar pleiteada”.

É a segunda vitória da BANCOOP na Justiça no ano de 2012. Entretanto, sabemos que a mídia que compõe a aliança que tornar José Serra prefeito de São Paulo, fará de tudo para omitir e distorcer a verdade.

Anúncios