Promotor Blat e a Máfia da Pirataria

Posted on 8 de maio de 2012

0



Além de sua atuação no Poder Judiciário, Blat, de tempos em tempos, disserta em palestras sobre temas de interesse público. “A pirataria e o crime organizado: Seus prejuízos sobre a sociedade” – é título de uma das dissertações preferidas pelo promotor. Na teoria Blat é uma coisa, mas na prática age de forma diferente. Quando participou da força-tarefa antipirataria, o promotor foi conivente com este submundo, deixando agir livremente o maior contrabandista do Brasil, o chinês Law Kin Chong.

Blat é amigo da advogada do chinês Law

As investigações que Blat fez sobre a pirataria foram voltadas aos pequenos contrabandistas. O promotor deixou Chong agir livremente. A advogada contratada para defende o chinês foi vista por várias vezes no Gaeco. Ela fazia visitas constantes a José Carlos Blat.

Blat protegeu o maior contrabandista do Brasil

O chinês Law Kin Chong é acusado de ser o maior contrabandista do Brasil. Dono de shopping na 25 de março, no centro de São Paulo, Chong responde processo por lavagem de dinheiro, contrabando, evasão de divisas e sonegação fiscal. Foi detido pela polícia federal em 2007. Antes de ser preso em flagrante, havia sido multado em R$ 2.346.448,00 por irregularidades em outro shopping de sua propriedade, localizado no Pari. Em suas palestras, uma das criticas que faz com maior ênfase é sobre a IMPUNIDADE. Mas, e Chong, porque foi “poupado”?

Prejuízos da pirataria

As consequências da pirataria atingem diversos segmentos, desde o cultural até o econômico. A pirataria é um crime contra o direito autoral. A prática ilegal esvazia os cofres públicos que deixam de arrecadar com impostos que são utilizados para benfeitorias públicas. Milhões de empregos formais deixam de ser criados, e este crime está intimamente ligado à exploração infantil. A pirataria também está relacionada ao crime organizado, como assaltos, narcotráfico, tráfico de armas e terrorismo, pois é financiada por facções criminosas, que contribuem de forma direta e indireta para a marginalidade que assola o país.

Vemos mais uma vez que Blat não têm credibilidade. Sua atuação frente ao combate à pirataria beneficiou apenas uma pessoa, o maior contrabandista do país.

Anúncios
Posted in: É notícia