Estadão usa a BANCOOP e o PT para abafar DEMóstenes

Posted on 3 de abril de 2012

1



As denúncias contra Demóstenes e seus pares podem culminar no fim do DEM e da oposição mais atrasada do Brasil. Para que isto não ocorra, veículos midiáticos aliados aos interesses dos demo-tucanos já começaram a trabalhar.

Sem argumentos convincentes para defesa do senador, o jornal O Estado de S Paulo já usa de uma tática bem conhecida – Requenta casos já resolvidos que envolvem membros da cúpula petista.

 O caso Demóstenes Torres X Carlinhos Cachoeira

Demóstenes Torres, senador pelo DEM em Goiás, é alvo de denúncias de corrupção. Grampos telefônicos confirmam a relação íntima entre o senador e o bicheiro Carlinhos Cachoeira, chefe do esquema de exploração de máquinas caça-níquel, investigado e preso pela Polícia Federal na Operação Monte Carlo. Demóstenes, uma das principais peças do esquema, teria recebido de propina, 30% da arrecadação de Cachoeira, cerca de R$ 50 milhões. Demóstenes era visto como um dos mais importantes nomes do partido no Brasil, ainda mais após da morte de Antônio Carlos Magalhães.

A melhor defesa é o ataque

A decisão do DEM ao abrir processo para expulsar Demóstenes do partido, foi a confirmação de que o senador não têm como explicar as denúncias feitas. O partido declarou entender que Demóstenes teve tempo suficiente para se manifestar, mas não o fez.

Para não enterrar de vez a história do DEM no Brasil, o Estadão e seus aliados começaram a atacar os adversários políticos, quer dizer, o PT.  Eles sabem que pode, e vai, sobrar muita sujeira para o partido de José Serra. A tentativa do jornal é dissipar a denúncia e causar a impressão de que todos são iguais, por meio de notas e matéria que visam manipular a opinião pública.

A BANCOOP é um dos alvos preferidos e mais usados. Recentemente o Tribunal de Justiça homologou e caráter definitivo o acordo existente entre a BANCOOP e o MP. O Estadão noticiou a decisão da Justiça de forma vergonhosa, transformando em réus, pessoas que sequer tiveram seus nomes citados no processo. Ainda por cima, fizeram uma absurda ligação à candidatura de Fernando Haddad.

O que eles querem é esconder a ligação do DEM e de Demóstenes com o PSDB de SERRA.

  • O PSDB sempre faz alianças com o DEM nas eleições em várias regiões do Brasil.
  • O PSDB está envolvido no caso  “Mensalão do DEM”. Em 2010,o nome de Sérgio Guerra, presidente do PSDB e coordenador da campanha de José Serra para a Presidência da República, aparece na Operação Caixa de Pandora realizada pela Polícia Federal. Ele era um dos políticos que mais receberam ligações de uma funcionária que comandava a arrecadação e distribuição de recursos ilegais para as campanhas tucanas.
  • Neste ano, em São Paulo, o PSDB de SERRA teria em sua chapa um vice que seria indicado pelo DEM. A aliança seria repetida em outras capitais brasileiras. Só que agora, depois do escândalo, vemos o efeito Demóstenes. Já repensam na possibilidade de compor a chapa. Mas, só agora?
  • A revista Carta Capital “evaporou” das bancas de Goiás após a publicação da matéria de desvenda o esquema de corrupção que envolve membros do DEM e do PSDB.
  • Marconi Perillo, governador de Goiás pelo PSDB, é um dos investigados na Operação Monte Carlo e acusado de ter exterminado as revistas das bancas.
  • Em 2010, o jornalista Paulo Beringhs, apresentador de um programa de notícias da TV Brasil Central, pediu demissão ao vivo. Ele faria uma entrevista com Marconi Perillo, porém recebeu ordens de não trazer o governador ao programa. Declarou que estavam sendo censurados e sob intervenção. O veículo é mantido pelo governo do estado.
  • Serra tem uma ligação íntima com Demóstenes Torres. Anos atrás fizeram até dobradinha em campanha eleitoral.
  • Geraldo Alckmin (PSDB), governador de SP, faz gosto pela aliança…

Como se diz no popular, DEM e PSDB são farinha do mesmo saco.

O Tribunal de Justiça de São Paulo em decisão unânime homologou o acordo judicial celebrado entre a BANCOOP  e o Ministério Público.  A Justiça já reconheceu que as práticas administrativas adotadas na gestão de João Vaccari Neto resolvem os problemas dos cooperados. Só falta a mídia reconhecer. Mas, se eles reconhecerem, vão falar de quem para esconder o desgoverno e desmandos dos tucanos?

Anúncios
Posted in: É notícia