CPI Privataria Tucana

Posted on 22 de dezembro de 2011

1



O ano está para acabar, mas o que não acaba são os comentários feitos acerca de “A Privataria Tucana”, livro-documento que revela os bastidores nebulosos das privatizações no governo  FHC. A publicação do livro do premiado jornalista Amaury Ribeiro Júnior, sem dúvida alguma, foi o pontapé inicial para uma série de acontecimentos importantes para toda sociedade.

Hoje (22), o delegado e deputado por São Paulo, Protógenes Queiroz (PCdoB), fez a entrega oficial do requerimento para abertura da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Privataria à Presidência da Câmara. Foi divulgada uma lista de apoio com o nome dos deputados federais que assinaram o documento. A lista, que deveria ter pelo menos 171 assinaturas, conseguiu um número superior ao exigido. Na relação podemos verificar até mesmo nomes do PSDB. A CPI protocolada por Prótogenes, contou com a adesão de 185 deputados, destes, 67 são de deputados petistas.

A expectativa é que a CPI seja aberta em fevereiro de 2012, após ser analisada pelo comando da Câmara.

O autor do livro, Amaury Ribeiro Júnior, se mostrou satisfeito com o resultado, e defende que, quando for instalada a CPI, a relatoria fique a cargo de Protógenes. Amaury também comentou que nesta semana a revista Veja não publicou nenhuma linha sobre o livro ou sobre a CPI. O mais estarrecedor é que mesmo com a CPI protocolada e o livro vendendo absurdamente, alguns veículos de massa continuam a fazer vista grossa para o tema. Quando não o fazem ocorre uma espécie de defesa dos réus que, limitam-se a dar declarações depreciativas sobre Amaury e o livro.

Ontem, (21) ocorreu uma reunião em um dos auditórios do sindicato dos bancários de São Paulo. Lá foram feitas exposições pelo autor do Best-Seller, juntamente do jornalista e também blogueiro Paulo Henrique Amorim e do deputado Protógenes Queiroz, o tema era “A Privataria Tucana e o silêncio da mídia”. Relataram que ainda existem mais materiais que podem dar origem à novas denúncias.

O jornal Folha de São Paulo até o momento não procurou o Amaury Jr para falar do livro. As matérias publicadas baseiam-se em declarações de Serra, FHC ou algum outro figurão tucano, que deprecia a obra ou o autor, sem apresentar declarações contundentes sobre as denúncias do livro.

Mas, o que de fato significa a abertura da CPI da Privataria?

No período que vai de 1991 até o ano 2000, 65 empresas foram privatizadas no Brasil. A venda do patrimônio público gerou uma receita imensurável (sim, é difícil saber o que são U$$90 bilhões) que até hoje nós brasileiros nos perguntamos para onde foi parar, pois, ao final do governo de FHC o país estava quebrado. Pesquisas de opinião popular, feita no ano de 2007 pelo instituto Ipsos, mostraram que a maioria dos brasileiros não era a favor da privatização de nossas estatais. Até hoje, nossos colegas tucanos são lembrados pelas privatizações que efetuaram no tempo em que desgovernaram.

A CPI da Privataria Tucana será na verdade um endosso e um aprofundamento dos temas tratados no livro de Amaury que possui mais de uma centena de folhas de documentos oficiais autenticados. É como se viesse à tona uma série de verdades adormecidas ao longo de décadas. Figurões como Serra, FHC, Ricardo Sérgio (Mister Big) e muitos outros, teriam sua real identidade revelada ao nosso país. é a grande chance de se apurar o maior esquema de corrupção já visto no Brasil.  Todos nós saberíamos quais crimes e como foram cometidos com o dinheiro público. Sem falar que grandes veículos de comunicação devem ser questionados, pois com todas as “armas” de investigação e denúncia, preferiam se calar, coniventes com os mal feitos. Há muito tempo, temos presenciado que a cúpula tucana vive em pé de guerra constante. Mal começou o primeiro ano de mandato de Dilma Roussef e os correligionários do PSDB já demonstram a total falta de articulação em fazer oposição e no consenso de um nome para as eleições presidenciais que vão ocorrer em 2014.  Seria o fim do PSDB e de seus “grandes nomes”. A última pesquisa feita pelo Instituto Datafolha revelou que o ex-candidato à presidência possui dentro os candidatos, a maior rejeição, que por sua vez, é quase o dobro do percentual de pessoas que acenaram a possibilidade de votar no tucano. É, as coisas não andam boas para eles. O cenário que já é ruim, tende a se tornar desastroso e irreversível com os resultados da CPI da Privataria.  Entretanto, circula pelos bastidores que exista quem esteja feliz com tudo isso. O fim do PSDB, é a principal justificativa encontrada para explicar o comportamento adotado por algumas organizações de comunicação no país, que tentam a todo custo blindar José Serra .  Só esquecem que tiram da população o direito fundamental à informação.

Faltam nove dias para começar um novo ano.  Entretanto, não precisamos esperar para renovar nossas atitudes. Só a boa política combaterá a má política, assim como, só o jornalismo ético e feito com lisura combaterá o jornalismo feito por profissionais da imprensa, que noticiam com base em suposições para atender interesses políticos de determinados grupos à eles ligados.

Anúncios
Posted in: Grande Mídia